Dicas de uma Coach Para Suas Resoluções de Ano Novo

Maria Clara Whitaker

Coach e CEO da VITAMINA

"Adeus Ano Velho, Feliz Ano Novo, Que tudo se realize no ano que vai nascer!”

Esta tradicional canção, um dos clássicos de Réveillon, contém em si tudo o que precisamos fazer ao definir nossos objetivos de vida e resoluções de Ano Novo. Quer ver?

“Adeus Ano Velho”

Grave isto na sua cabeça: a sua situação atual NÃO É o seu destino, e sim o seu ponto de partida. Ao dar adeus ao Ano Velho, você reconhece que, embora o seu passado e presente constituam aquilo que você conhece, há coisas na vida que não precisam continuar ad eternum.

Anote, assim, a primeira dica:

  1. Pense nas coisas da sua vida das quais você gostaria de se despedir. Faça uma lista, longa, sem cerimônia. Coloque lá coisas que você não contaria pra ninguém: sofás manchados, hábitos nocivos, relacionamentos vampirescos. Pense em tudo aquilo que afasta você da conquista da felicidade plena. Essa lista, quando bem feita, tem no mínimo 3 páginas, frente e verso. Vamos lá. É um exercício interessante.

“Feliz Ano Novo”

Aqui temos uma coisa bacana de se fazer: ao nos desvincularmos da obrigatoriedade de fazer as coisas do mesmo jeito de sempre, damos abertura para hábitos e condições de vida novos, inéditos, desconhecidos, e imbuídos de um genuíno desejo pela felicidade plena.

Para tanto, aí vai a segunda dica:

  1. Complete a seguinte frase: “Eu conquistarei a felicidade plena quando eu...” Novamente, aqui vale tudo, sem restrições. Este é o seu sonho, portanto permita-se vislumbrá-lo da forma que for mais interessante para você. Pode ser uma carreira mais satisfatória, uma experiência mirabolante no exterior, ou maior proximidade com pessoas que você ama. Seja o que for, o sonho é seu.

“Que tudo se realize no ano que vai nascer!”

Temos aqui a proposta que fazemos a nós mesmos: vamos nos empenhar em conquistar o nosso sonho? Sim, vamos.

O importante aqui é evitar fazer tudo ao mesmo tempo já, o que explica o abandono de tantas resoluções de Ano Novo logo nos primeiros 15 minutos de janeiro. Outra armadilha comum: não darmos sequer o primeiro passo, de tão impotentes que nos sentimos perante a totalidade das nossas metas. Aí repetimos os nossos velhos padrões mais uma vez. O segredo aqui é manter a calma, e o olhar no objetivo maior. Conquistá-lo dá um pouco de trabalho, mas vale, e muito, a pena.

Assim, este é o momento de você decidir se vai em frente, se empenhar em favor da sua felicidade plena, ou não. Veja bem: você pode perfeitamente decidir que não; se for este o caso, tudo bem. Um abraço e tenha um bom dia. Nos veremos ano que vem. Por outro lado, você pode decidir que sim. Neste caso, aí vão as próximas dicas:

  1. Defina quais seriam, concretamente, os pontos que demonstrariam que você chagou, de fato, à felicidade plena descrita no passo anterior. Por exemplo: eu posso decidir que eu terei a felicidade plena ao ter sempre por perto pessoas queridas; e que um dos pontos que demonstraria isso é que eu teria amigos jantando em casa X vezes por semana.
  2. Em seguida, pegue aquela sua longa lista de coisas das quais você gostaria de se despedir (aquela que você fez na dica 1), e identifique os itens que, ao serem eliminados, aproximarão você da felicidade plena que você está se propondo na dica 2. Assim, se a felicidade pra mim é ter os amigos por perto, jantando X vezes por semana aqui em casa, eliminar o sofá manchado e comprar um novo me aproximará deste objetivo. Esta passa a ser a minha mini-missão.
  3. Finalmente, para cada mini-missão proposta, escreva o primeiro passo a ser dado para conquistá-la. Para mim, o primeiro passo para eliminar o sofá velho será ir a 3 lojas de móveis pesquisar estilos e preços de sofás.

A partir daí, as próximas mini-missões (e seus passos correspondentes) se farão presentes para você. Preciso decidir qual o melhor estilo de sofá? Vou falar com meus amigos arquitetos. Preciso arrumar dinheiro para comprar o sofá? Vou pegar um freela, ou cortar algum gasto besta.

Perceba: o importante aqui é que você já não está mais parado, vivendo de novo os seus hábitos velhos e deformados feito aquele meu sofá. Você está em movimento, com passos que você consegue trilhar com as suas pernas, em direção ao seu sonho dourado. Você é uma pessoa que é capaz, e é a você que eu saúdo, agora: Feliz Ano Novo!

 

Este texto é dedicado ao Alê Rocha, que definiu seu sonho e que lutou com todas as suas forças contra deteriorações, estatísticas e ceticismos alheios, até conquistar ontem o transplante de pulmões que salvou a sua vida e que lhe permitiu continuar a fazer aquilo que ama: ser pai e escrever.

Veja Também:

Defendendo Um Tiro no Pé

As 6 Novas Regras Para Festas Corporativas

 

Este texto pode ser reproduzido pela Emprego e Carreira, o blog da Monster Brasil, desde que citada a autoria de Maria Clara Whitaker, da VITAMINA.

 

 

 

 

 

blog comments powered by Disqus